Rozemberg Witz

@Rozembergwitz

ghostwriter

Choram #filhos, choram #pais, choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais.
Humanos - como dizia #Nietzsche no afã de sua busca meio a leitura de seu #Zarathustra-, demasiadamente humanos. 
Nos pretenciosos e eloquentes discursos tem como verdade apenas a vaidade do orador. Porque nas estradas onde caminham os moribundos e infortunados, essa voz nunca chega como ombro amigo; quanto mais caro o perfume, mais distante a consciência da realida dos que conhecem a fome. Existem #humanos que pensam que só vale o banho se vier depois um bom perfume... Que os jantares da vida não são completos se não houver um “dessert”. São pessoas que pensam que fome é aquela sensação que surge após os primeiros minutos da vontade de comer. #Fome não é sinônimo de vontade de come. Fome é uma necessidade que leva tanto à #vida quanto à #morte. Vontade de comer, um capricho. 

Os líderes do mundo discutem a fome meio a jantares e manjares... Mas, daí, não sobra nem as migalhas. Outros, preparam – horas - discursos recheados de conhecimentos, eloqüência e vãs sabedorias, acreditando alimentar almas sedentas, mas fazem vista grossa aos pedintes moribundos das esquinas de suas rotinas. A humanidade está rica em soberba, vaidade, desejos galopantes de sucessos - seja lá no que for. Não se dão à compreensão de que nesta estrada #glamurosa do sucesso, mesmo sendo ladeado por aplausos, o horizonte à frente não lhes garante um abraço nem mesmo o ombro de um verdadeiro amigo. Os verdadeiros amigos são construidos nos vales, as montanhas, lá no horizonte, são verdadeiras miragens.
A humanidade caminha a passos largos para um enorme vácuo conhecido com Mal de Alzheimer. Esquecimento completo de valores, carinhos e memórias. Os amigos enterram seus mortos e aniquilam suas memórias ...corações de pedra. 
Sim, choram filhos, choram pais, choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais.
Homens, teimosos construtores de farrapos coloridos, pregadores das “verdades”, juízes que julgam o bem e o mal, conhecedores do que salva e do que condena, feitores de guerras, amontoadores de sangues na injustiça, “deuses” em si mesmos, Mas, no fim da carreira, carregados com o peso do jugo, se perdem meio a consciência de que não sabiam a maior verdade frente a eles durante toda uma vida; morrem sem saber a medida de seus narizes. Aham, e se julgavam sabedores de tudo! 
Sim, homens, protagonistas das maiores paixões do mundo... Porém, o homem é incapaz de reconhecer as lágrimas como o sangue da alma.
A humanidade é um entulho de caprichos. Quem sabe o “Dono dos ventos”, meio a tempestades, não deixa tudo isso se perder no enome vácuo do tal mal de Alzheimer ?! Sim, porque não?! Se a história da humanidade não passa de um choro de filhos, e de pais que choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O #coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais. (r.witz)

Views 507

1053 days ago

Choram #filhos, choram #pais, choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais.
Humanos - como dizia #Nietzsche no afã de sua busca meio a leitura de seu #Zarathustra-, demasiadamente humanos.
Nos pretenciosos e eloquentes discursos tem como verdade apenas a vaidade do orador. Porque nas estradas onde caminham os moribundos e infortunados, essa voz nunca chega como ombro amigo; quanto mais caro o perfume, mais distante a consciência da realida dos que conhecem a fome. Existem #humanos que pensam que só vale o banho se vier depois um bom perfume... Que os jantares da vida não são completos se não houver um “dessert”. São pessoas que pensam que fome é aquela sensação que surge após os primeiros minutos da vontade de comer. #Fome não é sinônimo de vontade de come. Fome é uma necessidade que leva tanto à #vida quanto à #morte. Vontade de comer, um capricho.

Os líderes do mundo discutem a fome meio a jantares e manjares... Mas, daí, não sobra nem as migalhas. Outros, preparam – horas - discursos recheados de conhecimentos, eloqüência e vãs sabedorias, acreditando alimentar almas sedentas, mas fazem vista grossa aos pedintes moribundos das esquinas de suas rotinas. A humanidade está rica em soberba, vaidade, desejos galopantes de sucessos - seja lá no que for. Não se dão à compreensão de que nesta estrada #glamurosa do sucesso, mesmo sendo ladeado por aplausos, o horizonte à frente não lhes garante um abraço nem mesmo o ombro de um verdadeiro amigo. Os verdadeiros amigos são construidos nos vales, as montanhas, lá no horizonte, são verdadeiras miragens.
A humanidade caminha a passos largos para um enorme vácuo conhecido com Mal de Alzheimer. Esquecimento completo de valores, carinhos e memórias. Os amigos enterram seus mortos e aniquilam suas memórias ...corações de pedra.
Sim, choram filhos, choram pais, choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais.
Homens, teimosos construtores de farrapos coloridos, pregadores das “verdades”, juízes que julgam o bem e o mal, conhecedores do que salva e do que condena, feitores de guerras, amontoadores de sangues na injustiça, “deuses” em si mesmos, Mas, no fim da carreira, carregados com o peso do jugo, se perdem meio a consciência de que não sabiam a maior verdade frente a eles durante toda uma vida; morrem sem saber a medida de seus narizes. Aham, e se julgavam sabedores de tudo!
Sim, homens, protagonistas das maiores paixões do mundo... Porém, o homem é incapaz de reconhecer as lágrimas como o sangue da alma.
A humanidade é um entulho de caprichos. Quem sabe o “Dono dos ventos”, meio a tempestades, não deixa tudo isso se perder no enome vácuo do tal mal de Alzheimer ?! Sim, porque não?! Se a história da humanidade não passa de um choro de filhos, e de pais que choram a dor da perdida e nunca da ausência – tão prematuramente – esquecida. O #coração humano é palhas que arde apenas meio as chamas de quem afaga. Depois, uma pedra fria largada meio ao limo de quem não se importa mais. (r.witz)

0 Comments

Realtime comments disabled