calum's babe

@thinkstyles

i'm a jedi so don't mess with me (i'm also a drummer like ashton is... just not that awesome)

Rotate photo View full size
1 ano desde o dia 14 de maio de 2011 se passou. 1 ano do melhor dia da minha vida. Dá pra acreditar, nisso? Parece que foi ontem mesmo que eu estava pulando, gritando, cantando e fazendo tudo pela miley. Eu lembro direitinho de como t-u-d-o começou: havia rumores sobre uma suposta festa privada, ou show privado, para apenas convidados especiais, o que deixou todo mundo muito puto, porque todos nós queríamos ver nossa inspiração, né? Mas depois de um tempo, >finalmente< anunciaram que a miley viria para dois shows abertos a publico geral! Minha reação? FELICIDADE. Eu não conseguia nem chorar, de tão feliz que eu estava. Só sabia sorrir, e mais nada. Depois de praticamente 4 anos esperando, ela viria ao meu país! Eu não conseguia acreditar. E minha mãe, a mais compreensiva do mundo, DEIXOU NA HORA! O problema é que a pista premium era m-u-i-t-o cara, e como eu ia com a minha mãe, não tinha dinheiro para comprar. Ou seja, restou a pista normal, porque na Arena Anhembi não tinha outros setores. Whatever, nada me deixou triste! Eu ia ver a miley, FINALMENTE, a primeira pessoa pela qual eu senti todo esse amor de fã, a primeira pessoa na minha vida que eu admirei sem ao menos nunca ter tocado nela, a primeira pessoa que me mostrou que amor de fã verdadeiro existe! Eu estava tão ansiosa que planejava cada segundo daquele dia na minha cabeça, mas no final foi tão mais perfeito! Estava em contagem regressiva: 1 mês, 3 semanas, 2 semanas, 1 semana, 1 dia. E DE REPENTE, >O< DIA DA MINHA VIDA CHEGOU! 
Acordei cedo, lá pelas 6 da manhã com destino a SÃO PAULO. Saí de casa lá pelas 7 horas, e fui viajar! Cheguei lá mais ou menos umas 10 horas da manhã, e fui direto para o apartamento da minha amiga, no qual ficaria hospedada. Chegando lá, eu e minha amiga já surtamos por apenas estarmos na MESMA cidade que a miley. Enfim, depois, fomos na galeria do rock, compramos umas coisas, almoçamos, e quando era mais ou menos 13h30, partimos rumo a fila! Chegamos lá 14h15 mais ou menos, e fomos pra fila da pista comum. Estava eu, minha amiga, e nossas mães companheiras, e outra amiga nossa estava a caminho com o pai dela. Ela chegou mais ou menos umas 2 horas depois, 16h15. Nessas 2 horas, eu e minha outra amiga já tínhamos feito de tudo. Comprado água, bastões de luz, rosas, rido de uma mulher com uma blusa escrito “rã na montanha”, chorado, cantado, etc. Nós não acreditávamos que em poucas horas nosso sonhos se realizaria. Tiramos trilhões de fotos na fila por falta do que fazer, brincamos de “every rose caiu no chão” com as nossas rosas, fomos trouxas, gritamos cada vez que passava um helicóptero, etc. Aí teve uma vez que uma >limusine< passou bem na nossa frente, e gritamos que nem loucas, corremos atrás, e até hoje não sei como a miley chegou na Arena. Eu não lembro exatamente a hora que os portões se abriram, mas se não me engano foi às 17h30 mais ou menos. Às 17h30, eu já estava quase entrando na Arena, e quando e minhas amigas entramos, meu coração simplesmente parou. Eu olhei para toda aquela multidão, todos os smilers unidos com um mesmo propósito: ver a miley. Começamos a correr, e fomos abordadas por seguranças falando “não corram, não corram!”, mas não estávamos nem aí, corremos como se o mundo fosse acabar naquele segundo. Chegamos, e ficamos um pouco mais pra trás da grade da pista normal/comum. Estávamos tão longe, mas ao mesmo tempo tão perto. Eu já não comia há horas, e minha mãe (muito preocupada) porque se eu fico muito tempo sem comer, eu desmaio, como já aconteceu várias vezes, comprou lanches pra mim e pras minhas amigas, só que minha mãe estava lá na pqp lá de trás, e a gente quase morrendo sufocadas naquele aperto. Então, minha mãe mandou os lanches pela segurança, que falou “SOFIA!” e eu respondi “aqui”, e comi aquele >delicioso< lanche num espaço minúsculo, desconfortável como nunca. Minhas pernas começaram a tremer, e eu tive que sentar. Eu estava de pé há muito tempo, e o nervosismo não estava ajudando. Cada vez que uma luzinha acendia no palco, todos gritavam. E teve uma hora que o Alison entrou, filmando todo mundo! Hahaha. Aí, mais ou menos umas 21h15, o show começa >adiantado<. Aquelas sirenes tocam, e meu coração vai a mil! O show todo, eu cantava >cada< palavra, tentava tirar foto, mas não dava muito certo, porque eu só sabia pular! Me emocionei demais quando ela cantou “The Driveway”, e “The Climb” também. Pulei demais em LW, CBT, WOMH, K&C, FOTW, 7 things, etc. No meio do show, eu mal conseguia ver a miley, então quando consegui ver um pouco dela, eu gritei pras minhas amigas “GENTE ELA TÁ ALI, ELA EXISTE MESMO, ELA É DE VERDADE!” e comecei a chorei muito. Depois daquele espetáculo, ainda toca “all you need is love” :’) Eu, com muita dor na perna, e morrendo de frio por mais que eu estivesse com um moletom, pensei que a aventura estivesse acabado, mas não. Eu esperei, depois do show, mais ou menos 1h30 porque o nosso motorista não estava nos achando. No final, tivemos que pegar um táxi e ir pro apartamento, porque os policiais mandaram. Chegando lá, tarde da madrugada, eu abracei as minhas amigas com toda força do mundo <3 Nosso sonho tinha se realizado.
Eu não pude abraçar a miley neste dia, e nem mesmo ficar apenas a 5 metros de distância dela, mas só de ouvir a voz dela, já era um paraíso pra mim. E eu não vou desistir, eu ainda vou abraça-la, mesmo que leve anos pra isso.
Enfim, hoje, 14 de maio de 2012, completa 1 ano do melhor dia da minha vida! E eu só quero agradecer a miley por proporcionar isso. Eu te amo muito, miley ray cyrus. <3

Views 40

858 days ago

1 ano desde o dia 14 de maio de 2011 se passou. 1 ano do melhor dia da minha vida. Dá pra acreditar, nisso? Parece que foi ontem mesmo que eu estava pulando, gritando, cantando e fazendo tudo pela miley. Eu lembro direitinho de como t-u-d-o começou: havia rumores sobre uma suposta festa privada, ou show privado, para apenas convidados especiais, o que deixou todo mundo muito puto, porque todos nós queríamos ver nossa inspiração, né? Mas depois de um tempo, >finalmente< anunciaram que a miley viria para dois shows abertos a publico geral! Minha reação? FELICIDADE. Eu não conseguia nem chorar, de tão feliz que eu estava. Só sabia sorrir, e mais nada. Depois de praticamente 4 anos esperando, ela viria ao meu país! Eu não conseguia acreditar. E minha mãe, a mais compreensiva do mundo, DEIXOU NA HORA! O problema é que a pista premium era m-u-i-t-o cara, e como eu ia com a minha mãe, não tinha dinheiro para comprar. Ou seja, restou a pista normal, porque na Arena Anhembi não tinha outros setores. Whatever, nada me deixou triste! Eu ia ver a miley, FINALMENTE, a primeira pessoa pela qual eu senti todo esse amor de fã, a primeira pessoa na minha vida que eu admirei sem ao menos nunca ter tocado nela, a primeira pessoa que me mostrou que amor de fã verdadeiro existe! Eu estava tão ansiosa que planejava cada segundo daquele dia na minha cabeça, mas no final foi tão mais perfeito! Estava em contagem regressiva: 1 mês, 3 semanas, 2 semanas, 1 semana, 1 dia. E DE REPENTE, >O< DIA DA MINHA VIDA CHEGOU!
Acordei cedo, lá pelas 6 da manhã com destino a SÃO PAULO. Saí de casa lá pelas 7 horas, e fui viajar! Cheguei lá mais ou menos umas 10 horas da manhã, e fui direto para o apartamento da minha amiga, no qual ficaria hospedada. Chegando lá, eu e minha amiga já surtamos por apenas estarmos na MESMA cidade que a miley. Enfim, depois, fomos na galeria do rock, compramos umas coisas, almoçamos, e quando era mais ou menos 13h30, partimos rumo a fila! Chegamos lá 14h15 mais ou menos, e fomos pra fila da pista comum. Estava eu, minha amiga, e nossas mães companheiras, e outra amiga nossa estava a caminho com o pai dela. Ela chegou mais ou menos umas 2 horas depois, 16h15. Nessas 2 horas, eu e minha outra amiga já tínhamos feito de tudo. Comprado água, bastões de luz, rosas, rido de uma mulher com uma blusa escrito “rã na montanha”, chorado, cantado, etc. Nós não acreditávamos que em poucas horas nosso sonhos se realizaria. Tiramos trilhões de fotos na fila por falta do que fazer, brincamos de “every rose caiu no chão” com as nossas rosas, fomos trouxas, gritamos cada vez que passava um helicóptero, etc. Aí teve uma vez que uma >limusine< passou bem na nossa frente, e gritamos que nem loucas, corremos atrás, e até hoje não sei como a miley chegou na Arena. Eu não lembro exatamente a hora que os portões se abriram, mas se não me engano foi às 17h30 mais ou menos. Às 17h30, eu já estava quase entrando na Arena, e quando e minhas amigas entramos, meu coração simplesmente parou. Eu olhei para toda aquela multidão, todos os smilers unidos com um mesmo propósito: ver a miley. Começamos a correr, e fomos abordadas por seguranças falando “não corram, não corram!”, mas não estávamos nem aí, corremos como se o mundo fosse acabar naquele segundo. Chegamos, e ficamos um pouco mais pra trás da grade da pista normal/comum. Estávamos tão longe, mas ao mesmo tempo tão perto. Eu já não comia há horas, e minha mãe (muito preocupada) porque se eu fico muito tempo sem comer, eu desmaio, como já aconteceu várias vezes, comprou lanches pra mim e pras minhas amigas, só que minha mãe estava lá na pqp lá de trás, e a gente quase morrendo sufocadas naquele aperto. Então, minha mãe mandou os lanches pela segurança, que falou “SOFIA!” e eu respondi “aqui”, e comi aquele >delicioso< lanche num espaço minúsculo, desconfortável como nunca. Minhas pernas começaram a tremer, e eu tive que sentar. Eu estava de pé há muito tempo, e o nervosismo não estava ajudando. Cada vez que uma luzinha acendia no palco, todos gritavam. E teve uma hora que o Alison entrou, filmando todo mundo! Hahaha. Aí, mais ou menos umas 21h15, o show começa >adiantado<. Aquelas sirenes tocam, e meu coração vai a mil! O show todo, eu cantava >cada< palavra, tentava tirar foto, mas não dava muito certo, porque eu só sabia pular! Me emocionei demais quando ela cantou “The Driveway”, e “The Climb” também. Pulei demais em LW, CBT, WOMH, K&C, FOTW, 7 things, etc. No meio do show, eu mal conseguia ver a miley, então quando consegui ver um pouco dela, eu gritei pras minhas amigas “GENTE ELA TÁ ALI, ELA EXISTE MESMO, ELA É DE VERDADE!” e comecei a chorei muito. Depois daquele espetáculo, ainda toca “all you need is love” :’) Eu, com muita dor na perna, e morrendo de frio por mais que eu estivesse com um moletom, pensei que a aventura estivesse acabado, mas não. Eu esperei, depois do show, mais ou menos 1h30 porque o nosso motorista não estava nos achando. No final, tivemos que pegar um táxi e ir pro apartamento, porque os policiais mandaram. Chegando lá, tarde da madrugada, eu abracei as minhas amigas com toda força do mundo <3 Nosso sonho tinha se realizado.
Eu não pude abraçar a miley neste dia, e nem mesmo ficar apenas a 5 metros de distância dela, mas só de ouvir a voz dela, já era um paraíso pra mim. E eu não vou desistir, eu ainda vou abraça-la, mesmo que leve anos pra isso.
Enfim, hoje, 14 de maio de 2012, completa 1 ano do melhor dia da minha vida! E eu só quero agradecer a miley por proporcionar isso. Eu te amo muito, miley ray cyrus. <3

0 Comments

Realtime comments disabled