Respira do Pe

@pelumyoxigenio

Tinha medo do escuro, do bicho papão e de fantasmas. Hoje tenho medo de te perder. Since:08/12/2010 ~oisouarespirarespiradopelu~ Dona: @NeverShoutIsa_

Aquele sorriso me tirava do chão, construía em meus lábios o sorriso mais verdadeiro do mundo. Aquele abraço me deixava tonta, me anestesiava da dor insuportável, que ficava dias longe de mim. A dor não gostava, ela pensava que morava em mim, e quando finalmente o remédio para minha cura chegava, ela ia embora emburrada, com a pior cara de raiva do mundo. Aquele som da tua risada causava calafrios dentro de mim, e a minha risada saia automaticamente, com um som esquisito depois de tanto tempo escondida atrás de lagrimas, e mais lagrimas. Ele era o controlador dos meus sorrisos, e das minhas risadas. Ele me dominava. Ele me protegia dos maiores perigos do mundo, mas demorava em vim me proteger do dar. Mas ele me protegia. Envolvia-me com seus braços longos e finos, com um super aperto sobre meu corpo, e a dor se desmanchava com um gelo derretendo. Envolvia-me abraçando inteira, e não deixando nem minha cabeça a mostra. Envolvia-me protegendo do perigo, me protegendo de tudo, e de todos. Segurava minha mão e me levava para outro mundo, um mundo perfeito, e sem defeitos, um mundo de ilusões criado quando ele sorria para mim. Até hoje não descobri se esse mundo é só coisa dos meus olhos e da minha mente que são fissuradas por ele ou se esse mundo é construído mesmo quando ele sorri pra mim ou quando as mãos dele entram em contato com o meu corpo, me fazendo então, partir pro tal do outro mundo, o mundo onde nada me fazia mais feliz do que ele.

Views 61

1770 days ago

Aquele sorriso me tirava do chão, construía em meus lábios o sorriso mais verdadeiro do mundo. Aquele abraço me deixava tonta, me anestesiava da dor insuportável, que ficava dias longe de mim. A dor não gostava, ela pensava que morava em mim, e quando finalmente o remédio para minha cura chegava, ela ia embora emburrada, com a pior cara de raiva do mundo. Aquele som da tua risada causava calafrios dentro de mim, e a minha risada saia automaticamente, com um som esquisito depois de tanto tempo escondida atrás de lagrimas, e mais lagrimas. Ele era o controlador dos meus sorrisos, e das minhas risadas. Ele me dominava. Ele me protegia dos maiores perigos do mundo, mas demorava em vim me proteger do dar. Mas ele me protegia. Envolvia-me com seus braços longos e finos, com um super aperto sobre meu corpo, e a dor se desmanchava com um gelo derretendo. Envolvia-me abraçando inteira, e não deixando nem minha cabeça a mostra. Envolvia-me protegendo do perigo, me protegendo de tudo, e de todos. Segurava minha mão e me levava para outro mundo, um mundo perfeito, e sem defeitos, um mundo de ilusões criado quando ele sorria para mim. Até hoje não descobri se esse mundo é só coisa dos meus olhos e da minha mente que são fissuradas por ele ou se esse mundo é construído mesmo quando ele sorri pra mim ou quando as mãos dele entram em contato com o meu corpo, me fazendo então, partir pro tal do outro mundo, o mundo onde nada me fazia mais feliz do que ele.

0 Comments

Realtime comments disabled